A paixão pelo passado na decoração há muito tempo deixou de ser restrita aos colecionadores. Hoje, garimpar móveis e objetos antigos – ou dar à casa um ar nostálgico através de peças novas que remetam a outras épocas – é uma tendência mundial. Das xícaras isabelinas aos móveis carregados de história, os objetos fazem a casa respirar arte em um diálogo entre o antigo e o contemporâneo que empresta um charme todo especial ao ambiente. Mas cuidado para não confundir vintage com retrô. Os dois estilos são muito valorizados tanto na decoração quanto na arquitetura, mas muita gente ainda confunde os dois conceitos.

Uma boa forma de entender a diferença é lembrar que a palavra inglesa “vintage” na realidade significa “safra de vinho”, ou seja, quanto mais antiga a safra melhor. Basicamente ele é aplicado aos objetos, móveis, acessórios e roupas originais usados entre os anos 20 e 60 e podem ser garimpados em brechós, antiquários e na casa dos pais ou avós. Em muitas garagens, sótãos e “quartinhos da bagunça” costumam ter verdadeiras preciosidades acumulando poeira.

Já a decoração retrô é basicamente uma releitura inspired. Vem da palavra francesa retrospectif, significa para trás, aquilo que já foi visto, ou seja, é composta por peças novas inspiradas ou uma releitura principalmente nas décadas de 70 e 80. Enfim, para definir essa diferença sempre uso essa frase: Vintage é usado e Retrô é o que imita ou se inspira no vintage. Veja como criar uma atmosfera envolvente e aconchegante misturando estilos e integrando a decoração.

1. Nada de acabamentos refinados

A ideia é mostrar que é antigo, por isso se a peça é vintage nada de mandar reformar para tirar as características da peça modificando o acabamento e dando um aspecto de novo. Claro que você pode refazer um estofamento, consertar um braço do sofá ou pé de cadeira, mas não deixe a peça com cara de nova. O que vale é mostrar que aquela peça está cheia de história.

Destaque para aparador de madeira maciça.

2. Bazares e brechós guardam verdadeiros tesouros

Você pode encontrar verdadeiras preciosidades vintage nos brechós e bazares, como as porcelanas. Muita gente acaba se desfazendo de mobílias completas de família por não usar ou não ter onde guardar. Mesmo as peças soltas têm seu valor, pois podemos dar uma nova utilização à elas. Xícaras diferentes têm seu charme na hora de servir um delicioso cafezinho, pratos na parede dão sempre uma aura de passado irresistível, contudo aquelas louças incompletas criam uma bossa na hora de montar uma mesa, nessa mesma linha podemos também usar copos, taças e talheres compondo um novo visual a um almoço ou jantar. E viva a diferença! O uso tradicional também vale, é claro, o que não vale é deixar as peças escondidas no armário.

3. Papel de parede dá ares retrô

Quer dar um clima retrô a um cômodo? Procure forrar as paredes com papel de parede característico das décadas de 70 e 80, com grafismos e linhas retas e cores fortes, como amarelo, vermelho, laranja, azul e preto. Se a ideia for um aspecto vintage, aposte no romantismo das flores em tons pastéis.

Móveis retrô e vintage integrados ao papel de parede geométrico.

4. Ferrugem à mostra é puro feitiço

Poucas coisas expressam tão bem a passagem do tempo quanto a ferrugem. Móveis e objetos de ferro oxidados ficam lindos, mas tenha cuidado se for uma cadeira ou banco. Certifique-se que são seguros para as pessoas sentarem. Os pés e encostos devem estar firmes e o ideal é que tenham sapatas para não arranhar o piso. Peças em ferro fundido oxidado ficam charmosas, como fruteiras antigas, mãos francesas segurando pias de lavabo ou cantoneiras de ferro abaixo da janela. Ficam especialmente bonitas quando combinadas com madeira e vidro.

5. Invista nos acessórios

Vestir a casa é uma arte, por isso invista em tecidos com bordados, rendas, babados, patchwork e crochês. Acessórios como almofadas, colchas, mantas, pufes ganham destaque na decoração.

6. No quarto, luzes realçam as curvas sinuosas

No quarto você pode investir nos fios de luzes com led para realçar uma penteadeira ou guarda-roupa ou trabalhar com pendentes, abajures, arandelas, espelhos venezianos ou móveis retrô orgânicos. Também vale trocar a cor do mobiliário para dar um realce, já que a tendência é pintá-lo em cores fortes como azul, vermelho, amarelo ou verde, em tons pastéis ou deixá-lo apenas na cor natural da madeira por se tratar de uma peça vintage. Vale praticamente tudo, sem perder a elegância.

Novas cores renovam o mobiliário dando um ar mais moderno.

7. Móveis pé de palito

Must have dos anos 50, eles dão um toque especial em qualquer decoração. Você pode dar um ar retrô à sala apenas com um item do tipo – outra dica é usar cores contrastantes na parede e no estofamento. Mesas de centro, poltronas e pufes com pé palito, também muito usados na época, são detalhes que valorizam o ambiente.

8. Malas, rótulos e antigas cadeiras de palha

Já pensou no que fazer com aquelas malas velhas que só ocupam espaço? Pois elas podem dar uma ótima mesa de centro ou lateral. Rótulos de cerveja, vinho, whisky, placas e até bolachas de chope dão um ar muito interessante às paredes, enquanto as cadeiras de palha antigas remetem direto à década de 70 – principalmente se acompanhadas por um abajur de cúpula larga e baixa. Neste caso, se a palha estiver arrebentada vale a pena reformar e pintar com cores fortes, reforçando o tom retrô.

Rumo à casa da vovó

Melhor que brechó e bazar é a casa da sua família. Muito provavelmente você encontrará móveis de jardim de ferro que ficam lindos na varanda do apartamento, vitrolas antigas que seduzem o olhar na sala, louças (incompletas mesmo) que compõem a inevitável cristaleira, outro item must have na casa com jeitinho de ontem. Os móveis antigos podem ter novo uso: guarda-roupa pode se tornar um armário para livros, guarda-treco ou cristaleira; penteadeira que passa a ser aparador ou mesmo uma cadeira antiga pode se tornar uma mesa lateral. E você pode mudar o visual até com tinta spray.

Monte o ambiente de forma a criar uma percepção de referências ao passado, mas não exagere. “Ouse” com peças para fazer contrastes e cuidado para não pesar o ambiente. Use sempre o bom senso lembrando que o importante é dar nova funcionalidade a uma peça antiga que não estava sendo usada. O importante é usar outras histórias para contar a sua, criando um ambiente harmônico e completamente novo, mas com uma historia própria.

E você, tem objetos vintage ou uma decoração retrô na sua casa? Conte para a gente qual a sua inspiração para montar os ambientes da sua casa aqui, nos comentários!