A casa com tapetes fica muito mais aconchegante, afinal quem não gosta de afundar os pés em uma textura macia e relaxante? Além disso, os tapetes dão conforto visual, proteção térmica e acústica, compõe com outros elementos e passam a ser muito mais do que simples acessórios. Como delimitadores de espaços eles são capazes de aumentar ou reduzir ambientes, o que os tornam uma arma poderosa na decoração. Para quem está pensando em fazer aquela transformação, vale a pena prestar atenção em algumas dicas bem interessantes e que podem fazer toda a diferença no visual da sua casa.

Lisos ou estampados: qual a melhor aposta?

Ainda que dependa do gosto de cada um, há alguns aspectos que devem ser levados em conta. Hoje a tendência aposta nas formas geométricas, principalmente o hexágono, e nos tapetes belgas, aqueles que têm franjinhas nas pontas, uma cor sólida e geralmente forte de base e vários desenhos entrelaçados em primeiro plano.

Com estampa inspirado na flora e fauna brasileira, o tapete vira vedete no espaço do Arquiteto Roberto Migotto na edição da Casa Cor São Paulo 2015. Fonte: Westwing.

3a5ccf056d6b71b6ba2247a84b75764b

Tapete com linhas organicas e cores pasteis.

Tapete com desenhos geometricos. Fonte: Casa Vogue

Tapete com estampa e cores peronalizadas. Fonte: Casa Claudia

Em ambos os casos, e preciso prestar atenção nos demais elementos da sala. O ideal é que o sofá seja liso, assim como as cortinas. Já as almofadas, se estampadas, devem ter padrão semelhante ao do tapete.

Já para quem prefere uma decoração mais contemporanea, certamente irá optar por modelos lisos. Esses podem variar a altura do pelo, e a tonalidade de ser uma que possa compor com o ambiente.

Combinar dois tapetes ou mais no mesmo ambiente: ouse!

Imagine que os tapetes são como quadros: se você colocar dois parecidos um ao lado do outro eles se anularão. A dica então é ousar, colocar estilos bem diferentes quando eles tiverem que ficar no mesmo ambiente. Uma dica é procurar um elemento em comum entre eles, uma cor que esteja presente em ambos. Mas se você quer levar a ousadia ao pé da letra, use a criatividade procurando estilos bem diferentes, estampados e lisos ou com estampas contrastantes. Inove, crie!

Composição de diversos tapetes.

Tapetes indianos misturados com esteiras indígenas.

Tapetes grandes dão sensação de amplitude

Aqueles tapetes imensos, que abrigam sofá, mesa e poltronas em cima deixam a sala com aparência maior. Se não for possível, você pode até deixar a mesinha lateral fora do tapete, mas ele deve ultrapassar em pelo menos 20 cm os pés do sofá. Mas, atenção: tapete grande não é carpete, ele não deve tomar conta da sala inteira porque isso desvaloriza o tapete como elemento decorativo.  Da mesma forma acontece o inverso: tapetes pequenos, que ocupam apenas o centro da sala e ficam longe do sofá, reduzem o tamanho da sala. Então, fique atento ao investimento de acordo com o efeito que você quer para a sua casa.  Agora, caso o tapete tenha borda ou algum tipo de moldura no desenho, vale a pena ficar centralizado no ambiente sem ultrapassar os móveis.

Integração entre a sala de estar e jantar atraves do tapete.

Tapete na sala de jantar: sim ou não?

Isso costuma dividir opiniões, por isso vou apresentar os prós e contras e você decide de acordo com o seu gosto. Há quem diga que o local não é apropriado por não ser muito prático ao arrastar cadeiras quando as pessoas sentam e levantam, podendo até causar acidentes. Para outros, ocorre justamente o contrário: ele emoldura a mesa de jantar e ainda ajudaria as cadeiras a deslizarem. Neste caso, o tapete deve ser generoso, ultrapassando o tampo da mesa entre 70 cm e 1 metro. Particularmente, não gosto muito, pois como é uma área destinada a refeições existe uma grande probabilidade de cair restos de alimentos o que acarreta a um cuidado maior com a limpeza sobre ele.

Tapete colorido na sala de jantar.

Tapete de trama natural na cor neutra para a mesa de jantar. Fonte:Stylemepretty.com

O formato certo do tapete: será que existe?

Não, não existe! Ainda que na decoração clássica ainda prevaleçam os quadrados, em épocas de liberdade ele pode ter o formato que você desejar. O importante é que ele esteja sempre no mínimo 10 a 30cm abaixo de cada um dos móveis que compõem o ambiente e, em lugares sem móveis (como corredores e espaços de circulação), ele deixe uma moldura de piso aparente em todos os lados de pelo menos 20 cm.

Formato diferenciado para sala de estar.

Quanto mais espesso melhor. Será?

Só em lugares que demandam grande conforto, como nos quartos, sala de TV e lugares íntimos onde é possível ficar descalço. Na sala de visitas a gramatura deve ser regular, já que você pode receber visitas com saltos finos ou que usem acessórios para caminhar, como bengalas e cadeiras de rodas, e que terão a mobilidade dificultada pelo tapete muito espesso. Da mesma forma, lugares de grande circulação e onde o contato com o tapete não será constante, ele deve ser baixinho. Nos quartos, o tapete deve passar no mínimo 60cm nas laterais da cama. Áreas úmidas, como área de serviço, banheiro e cozinhas devem ter tapetes sintéticos, laváveis e com camada emborrachada antiderrapante no verso. Na cozinha, geralmente são utilizados como passadeiras e no banheiro utiliza-se um único tapete preenchendo a área central. Adeus tapetinho na frente do vaso!!!

Dormitorio de casal projetado pelo arquiteto Gustavo Calazans.

arquiteteblog

Passadeira na cozinha.

Agora não esqueça de algumas informações importante para usá-lo adequadamente:

– Não utilizar tapetes com pelos em ambientes com móveis de rodízios.

– Tapetes com desenhos devem ter no máximo 18mm de espessura, maior que isso podem dar instabilidade ao móvel e causar acidentes.

– E lembre-se sempre de virar o tapete para evitar desbotamento causado pelo sol e também marcas causadas pelos móveis.

Gostou das dicas? E você, como escolhe seus tapetes? Conte para a gente aqui, nos comentários!