Posso contar um segredo para vocês? O maior sofrimento de um arquiteto é fazer um projeto para si próprio… OMG!!! Não queiram nem imaginar.

Entre uma série de dúvidas e dificuldades, escolher as peças de mobiliários que devemos usar já gera alguma dor de cabeça diante de tantas peças icônicas que o mundo do design nos oferece. Arquiteto sempre quer uma dessas peças para chamar de sua!

Isso porque, penso eu, nos identificamos com várias delas e muitas vezes temos vontade de ter todas. Não entenda como consumismo compulsivo, eu diria apenas que não sabemos amar apenas uma. Um caso de “infidelidade projetual” e o design sempre vai nos despertar desejo.
Pensando nisso, por que não listar as peças de desejo? Do tipo “love it”.

E aí depois me contem se não gera um nó nos pensamentos.

Minhas peças de desejo

LA CHAISE, 1948 – Uma poltrona que me encanta desde a época de faculdade. Orgânica, escultural e super charmosa, definitivamente é a peça que mais amo. De autoria dos designers e arquitetos Charles e Ray Eames em parceria com Eero Saarinen.

Fonte: Site Vitra

Fonte: Site Vitra

MESA JARDIM LATERAL, 2012 – Por Jader Almeida. Esse conjunto de mesas de apoio são versáteis, práticas e lindas. Combina com quase todos os estilos de projetos. É possível usar em espaços pequenos ou grandes. Além das composições de cores e materiais, a esbelta peça me agrada muito, despertando meu lado “engenheira civil”.

SJ_ml_jardim_madeira_frente_a

SOFÁ OTTO – Por Guilherme Torres. Gosto das peças clássicas e GOSTO MUITO do Sofá Chesterfield em couro natural. Um dos elementos marcantes dessa peça é o capitonê, que também é característica principal do Sofá Otto. Considero essa peça uma releitura do clássico chesterfield, com linhas contemporâneas que lhe proporcionam vários conceitos. Sua extensão oferece ainda uma mesa lateral moderna e despretensiosa.

Projeto da Mostra Casa Nova

Projeto da Mostra Casa Nova

11379255_1595312517387429_846361892_n

Uma coisa engraçada foi que quando escrevi o texto acima, ainda não tinha pesquisado muito sobre a peça, escrevi a minha impressão real do mobiliário, e por incrível que pareça a inspiração do designer realmente foi o sofá chesterfield.

Sofá Chesterfield

Sofá Chesterfield, já que falamos tanto nele

POLTRONA DIZ, 1957 – Por Sérgio Rodrigues. Por que eu gosto dessa poltrona? Porque considero a peça brasileiríssima, pelo uso da madeira, pelo conforto, pelo designer ser prata da casa, porque vejo nesse mobiliário a elegância despojada das mulheres cariocas. Além do mais, é incrível como compõe em qualquer ambiente. LOVE IT!!

e0f181175682259131c918f8b0b1edbd

Projeto de Bernardes Jacobsen, fonte: Casa Cláudia

Projeto de Bernardes Jacobsen, fonte: Casa Cláudia

POLTRONA ESFERA, 1968 – Por Ricardo Fasanello. Essa poltrona é uma delícia de confortável. Você pode ficar horas nela lendo seu livro preferido, ainda mais quando, além de ser um móvel, ela não é só design, se torna uma escultura. Gosto muito!

esfera

Minha versão preferida é a marrom

No projeto de Gisele Taranto a poltrona ainda é usado com uma das mesas jardim

No projeto de Gisele Taranto a poltrona ainda é usado com uma das mesas jardim

BANCO MOCHO, 1954 – Por Sérgio Rodrigues. Sou apaixonada por bancos e puffs, e eles também tem design. Acho que são peças muito práticas e charmosas. Sinceramente, em todo projeto tem espaço para elas. Existem vários modelos que podem ser usados de diversas maneiras. Praticamente em todos os meus projetos temos puffs ou afins. Esse é um queridinho, pois faz um tipo “pequeno, mas cheio de bossa”.

capamaristellafischer-Banco-Mocho-1954

24145003.jpg-adrianavalle-e-patriciacarvalho--2

O Banco mocho compõe perfeitamente com mesas de centro no projeto de Adriana Valle e Patricia Carvalho

POLTRONA CRINOLINE, 2008 – Por Patricia Urquiola. Essa poltrona tem um design imponente e ao mesmo tempo leve. Proporciona autenticidade ao projeto quando bem usada. Eu teria essa peça na minha casa!

Linda e usada para contemplação do belíssimo jardim do Hotel Royal Park, em Singapura, projeto de Woha Architects

Linda e usada para contemplação do belíssimo jardim do Hotel Royal Park, em Singapura, projeto de Woha Architects

CADEIRA LOUIS GHOST, 2002 – Por Philippe Starck. Uma cadeira moderna com desenho inspirado nas cadeiras Luis XV caiu na graça de todo mundo e, apesar de tantas cópias no mercado (infelizmente), é uma cadeira que compõe uma enorme variedade de possibilidades. Leve, mostrou ao mundo que é possível o uso de um material simples de uma forma estilosa.

Com várias cores, temos ainda opção com braço ou sem.

Fabricada pela Kartell, em várias cores, temos ainda opção com braço ou sem.

Utilizada em ambiente com "ares" vintage

Utilizada em ambiente com “ares” vintage

Minha última paixão, não é um peça premiada, nem ícone do design mundial, mas simplesmente me encantam os olhos todos os móveis antigos, principalmente os que têm significado pessoal. Sabe aquela chapeleira que foi da bisavó, a cristaleira ou a penteadeira da sua vó ou até a cadeira bacana que você encontrou no antiquário? Eu gosto. Seja ela repaginada ou não.

LOVE IT móveis antigos!!!

E aí, qual sua peça preferida? Alguma dessas peças acima?