O Post “Escultura – Parte 1” foi para entender como a escultura está presente em nossas vidas desde a pré-história. Contudo, como em outras formas de arte, os estilos de esculturas têm mudado e diversificado em diferentes tipos, que refletem a prevalência das tendências de um período.

A escultura é a arte de ilustrar imagens em relevo totalmente ou parcialmente, podendo ser utilizado qualquer material, como gesso, madeira, ferro, arame, mármore, concreto, gelo, vinil, vidro, cristal, tecido, MDF, galho ou tronco de árvore, prata, cobre, papel, raiz, flores, acrílico, pedra, argila, barro ou mesmo mesclando mais de um ou dois materiais.

Esculturas X Aspectos X Ambiente

A escultura se mostra em diversos aspectos e ambientes: podendo ser um prédio arquitetônico, uma cadeira, um acessório de moda, uma peça de iluminação, um objeto de decoração. Ela pode estar presente em um parque, uma praia, uma fachada de um prédio, um jardim, um museu, assim como pode compor uma vitrine de uma loja, uma parede, um piso, ou um nicho.

Edificação Arquitetônica com caráter de Escultura. Planetário em Valência, na Espanha. Arquiteto: Calatrava.

 

Escultura em Parque. Escultura Cloud Gate, também conhecida como “The Bean”. Autor: Anisk Kapoor, Chicago-EUA

 

Escultura: The Bean.  Font: Casa Vogue.

 

O Pente dos Ventos – Autor:  Eduardo Chillida, a escultura é composta por três esculturas de aço, pesando 10 toneladas cada. São incrustadas nas rochas da Bahia de La Concha, em San Sebastián, no País Basco. Foram encomendadas para compor o projeto do arquiteto Luis Pena Ganchegui.

 

Escultura: O Pente dos Ventos.

 

Escultura em área publica. Escultura: Mustangs. Autor: Robert Glen, Las Colinas, Texas, Estados Unidos da América do Norte.

 

Escultura compondo fachada de Edificação. Escultura: Freedom, Autor: Zenos Frudaki, confeccionada em quatro partes.

 

Escultura na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Os Guerreiros, Autor: Bruno Giorg, A escultura é mais conhecida como Os Candangos.

 

 

Escultura contemporânea na forma de um cão gigante confeccionada com flores. Autor: Jeff Koons: Puppy. Fonte: Wikimedia.

Inspiração: Escultura de Nariz compondo vitrine de perfume – Fonte: Pinterest

 

Acessório de moda com caráter de escultura. Armário Portátil Maracatu. Autor: Irmãos Campana Fonte: Casa Vogue

 

papel - pinterest redu

Esculturas com papeis dobrados que podem ser manuseadas, criando a forma que mais agrada a você. Autor: Li Hongbo. Fonte: Pinterest.

 

Escultura inusitada que retrata doces e sorvetes, feitas a partir de rolos de papel higiênico, em seu “estado normal”. Autor: Sakir Gökcebag. Fonte: Pinterest

 

Esculturas X Recicladas X Cinética

As esculturas feitas com materiais alternativos e recicladas, retirados do lixo sem utilidade aparente, como as esculturas feitas a partir de pneus, as esculturas feitas com utensílios de cozinha. Existem também as esculturas cinética, é uma corrente das artes plásticas que explora efeitos visuais por meio de movimentos físicos ou ilusão de óptica ou truques de posicionamento de peças.

Escultura confeccionada reciclando pneus usados. Autor: Yong Ho Ji. Fonte: Pinterest.

 

Escultura que passa a sensação que está voando e correndo, as esculturas são feitas com colheres, facas, garfos e outros utensílios de cozinha, que já haviam sido utilizados e descartados. Autor: Sayaka Kajita Gan. Fonte: Pinterest.

 

Escultura feita com ferramentas de metal, componentes de carro ou qualquer outra peça de sucata ou encontradas em lixos. Autor: Hasan Novroz. Fonte: Pinterest.

 

Escultura em madeira coletada pelas ruas e adicionando outros materiais em sua composição. Autor: Terrence Campagna Fonte: Casa Vogue

 

Escultura cinética, feita em metal e pintura acrílica. Autor: Jorge Bascoy Fonte: Pinterest

 

Espero que tenham gostado da Parte 2, do post sobre escultura. Aguardem a parte 3, que será a ultima, que será sobre escultura em ambientes internos.