Hoje resolvi falar sobre o que é um projeto de arquitetura de interiores, motivada por vários questionamentos que ao longo de minha carreira respondi, como: Por que o projeto de interiores é tão caro? Por que ele demora tanto? Projeto de interiores é só decoração?

Definições

A resolução Federal do CAU/BR nº 76/2014 define Arquitetura de Interiores como: “Intervenção detalhada nos ambientes internos e externos que lhe são correlatos, definindo uma forma de uso do espaço em função do mobiliário, dos equipamentos e suas interfaces com o espaço construído, alterando ou não a concepção arquitetônica original, para adequação as necessidades de utilização”.

Esta intervenção se dá no âmbito: espacial, das instalações, de condicionamento acústico, de climatização, estrutural, dos acabamentos, luminotécnico, de comunicação visual, das cores, de mobiliários, de equipamentos da coordenação de projetos complementares e da proteção e segurança.

De acordo com a mesma resolução, decoração significa: “É um simples arranjo do espaço interno criado pela disposição de mobiliário não fixo, obras de arte, cortinas e outros objetos de pequenas dimensões, sem alteração do espaço arquitetônico original, sem modificação das instalações hidráulicas, elétricas ou ar condicionado, não implicando em modificações na estrutura, adição ou retirada de paredes, forro, piso e que também não implique na modificação da parte externa na edificação”.

Não é uma tarefa fácil

Então a gente pode observar que um projeto de interiores, quando completo e executado por profissionais capacitados, não é uma tarefa fácil ou tampouco supérflua como muitos podem pensar.

Se pararmos para pensar, passamos boa pare de nosso tempo em ambientes construídos, seja trabalhando, comendo, dançando, dormindo, etc, então não dá para deixarmos de lado o projeto de espaços que tanto podem interferir positivamente ou negativamente (sem projeto ou mal executado) em nossas atividades.

Etapas

O fato de necessitarmos de um projeto de arquitetura de interiores já está claro? Então agora podemos definir suas etapas:

# Estudo preliminar:

Essa etapa tem como objetivo conhecer o problema, o cliente e fazer o diagnóstico.

É nessa etapa que faço uma anamnese do cliente, tanto entrevistando através de um bate papo, como mandando questionário como perguntas mais objetivas, além do levantamento físico e fotográfico do ambiente.

É importante também para você entender mais precisamente o cliente, suas necessidades, além de solicitar referências dele como fotos, etc.

O produto gerado dessa etapa será: planta baixa com layout e perspectiva possibilitando a visualização da proposta.

Nessa etapa o cliente pode sugerir e fazer as alterações necessárias para que fique dentro do que ele almeja.

# Anteprojeto:

Essa etapa nem sempre se faz necessária entregar. Mas quando o projeto tem uma dimensão maior é interessante adiantarmos para acelerar as ações complementares e a compatibilização na obra.

As pranchas aqui entregues são: o layout definido e cotado, planta a demolir e construir com as intervenções, algumas vistas e cortes cotados, além de perspectivas.

# Projeto executivo:

Essa etapa é bem técnica e nela já deve estar tudo definido e validado pelo cliente. Nela consta todas as informações técnicas necessárias do projeto e de seus elementos, assim como o caderno de especificação.

As pranchas resultantes são:

  1. Planta baixa cotada.
  2. Planta com layout cotado e com tabela de especificação de mobiliário.
  3. Planta a demolir e construir.
  4. Planta de iluminação, forro e interruptores.
  5. Planta de paginação.
  6. Planta de pontos elétricos, eixo hidráulico, ar condicionado e demais itens complementares.
  7. Vistas de todos os ambientes com suas especificações e cotas.
  8. Cortes dos ambientes para a compreensão dos níveis de forros e piso.
  9. Detalhamentos de gesso, marcenaria, bancadas, rodapés, portas, painéis e demais itens necessários para compreensão do projeto.
  10. Especificação técnica dos materiais.
  11. Memorial descritivo.
  12. Imagens dos ambientes.

Cansaram? (riso) E tem mais! Todas essas etapas tem que ter o acompanhamento do cliente, assim como a assistência do profissional.

Logo não dá para um projeto de interiores ser rápido e tampouco ter um valor baixo, pois além de todas as etapas aqui citadas há toda uma responsabilidade de um profissional por trás de tudo.

Pense nisso quando você for contratar seu projeto de interiores!