Na hora de  iluminar um ambiente, você pode valorizar ou não dependendo de como for decidido os Pontos de Iluminação, consulte um profissional da área ou lighting  designer. A ideia deste post é apresentado o método que eu utilizo para desenvolver a iluminação de  um ambiente. 

Layout Definido

Antes de iniciar a definição dos pontos de iluminação, é necessário ter o layout definido, pois a iluminação de cada ambiente é elaborada a partir de um layout. A altura de modulados ou moveis planejados também é importante, pois isso define a altura do gesso, que precisa deixar espaço suficiente entre o forro de gesso e a laje para uma sanca iluminada, luminárias de embutir, cortineiro iluminado ou não, para evitar  futuros problemas na hora de executar o projeto.

Layout 1

Layout de um apartamento com 145,00m².

Pontos de Iluminação

Em um mesmo ambiente pode ter várias tipos de iluminação, como: uma iluminação de serviço, uma iluminação geral, uma iluminação de destaque, podendo ganhar um ar romântico, intimista, alegre, cênico e aconchegante.

A estética é importante, mas temos que lembrar sempre também da funcionalidade e o uso de cada ambiente, por isso na hora de marcar os pontos de luz, devemos tirar partido da iluminação que pode ser do piso através de um balizador, da parede através de uma arandela, de um painel iluminado, ou mesmo de uma luminária embutida; no forro de gesso as possibilidades são diversas devido a liberdade que o gesso proporciona na hora de posicionar luminárias de embutir, plafom, aproveitando o recurso das sancas fechadas ou iluminadas, rebaixos, e os cortineiros. O tipo de lampada, cor e facho de abertura e wats devem ser explorados para valorizar cada ponto em particular de iluminação.

iluminaç

Planta de Pontos de iluminação com sistemas, interruptores e cotas.

Sem título

Exemplo de legenda de iluminação.

Sem título

Planta de forro.

Sem título

Detalhamento de sancas em corte.