Hoje vou abrir nossa coluna mensal sobre viagens. Aqui falaremos um pouco das nossas experiências em viagens pelo mundo. A cada mês um País, uma cidade, um local que de alguma forma nos encantou. O “Portas em automático” está no ar!
Ao pensar em um destino para viajar, acredito que a maioria das pessoas não colocaria a Jordânia entre suas primeiras opções. Nem eu também. Mas vou dizer uma coisa: fiquei imensamente surpresa e encantada com tudo o que pude conhecer lá. É um País que tem muito a oferecer ao viajante. Do Mar Morto ao deserto, há contrastes e belezas que deixam você hipnotizado.

Amã

A capital da Jordânia é uma cidade com mais de 5 mil anos de história e possui uma mistura única do antigo e do novo.
Um ou dois dias são o suficiente para conhecer os pontos mais importantes da cidade. Das ruinas romanas às mesquitas, passando pelo mercado, onde você encontra temperos maravilhosos. É possível se comunicar muito bem em inglês.

Cidade de contrastes: das ruínas aos prédios modernos. (Foto: arquivo pessoal)

O Amman Citadel é um local histórico no centro da cidade de Amã. De grande importância para a história, pois teve uma ocupação por diversas civilizações. A maioria dos edifícios ainda visíveis no local são da época romana, bizantina e período de Umayyad. Os principais edifícios no local são o Templo de Hércules, uma igreja bizantina, e o Palácio de Umayyad.

Ruínas do Templo de Hércules

Ruínas do Templo de Hércules. (Foto: arquivo pessoal)

Jerash

Um sítio arqueológico povoado na antiguidade pelas civilizações Romana e posteriormente Bizantina. Jerash conta com histórias de mais de 6.500 anos. É considerada uma das cidades romanas mais bem conservadas do mundo, que ficou escondida nas areias durante séculos. Jerash é um ótimo exemplo do urbanismo romano, com ruas pavimentadas, o fórum romano com suas 200 colunas de mármore, teatros, praças públicas, largos, fontes, muralhas e templos no topo das colinas.

Fórum Romano e suas 200 colunas de mármore

Fórum Romano e suas 200 colunas de mármore. (Foto: Sihame Cruz)

Anfiteatro

Anfiteatro de Jerash. Preservação surpreendente! (Foto: Mariana Vaz)

Monte Nebo

Do Monte Nebo você pode ver algumas das paisagens mais bonitas do País. É conhecido como o local onde, segundo a Bíblia, Moisés avistou a Terra Prometida e onde morreu, sem chegar a conhecer as terras que avistou. Do topo do monte é possível ver o vale do rio Jordão, as cidade de Jericó e Jerusalém.

Memorial de Moisés

Memorial de Moisés (Foto: arquivo pessoal)

Mount Nebo 5 (Si)

Placa que mostra a distância do Monte Nebo aos locais avistados. (Foto: Sihame Cruz)

Wadi Rum

O passeio pelo deserto é imperdível. É um local praticamente intocado pelo homem. O início do passeio é no Visitor Center, onde pegamos uma picape 4×4 guiada por um beduíno (grupo árabe habitante dos desertos, tradicionalmente divididos em tribos ou clãs). Saímos pelo deserto observando paisagens de tirar o fôlego, com cores incríveis. Paramos num certo ponto para observarmos o pôr do sol. Difícil encontrar palavras para traduzir o que foi visto e sentido. Uma energia sem igual.

Picape 4x4 que nos leva no passeio. (Foto: arquivo pessoal)

Picape 4×4 que nos leva no passeio. (Foto: arquivo pessoal)

Paisagem deslumbrante! (Foto: arquivo pessoal)

Paisagem deslumbrante! (Foto: arquivo pessoal)

O passeio terminou com um jantar da tradicional refeição beduína, preparada na fogueira debaixo da areia, acompanhada de música árabe.

Fogueira para receber os clientes

Restaurante no deserto. (Foto: arquivo pessoal)

Petra

Declarada patrimônio da humanidade, pela Unesco, é uma das sete maravilhas do mundo. A cidade de Petra ficou esquecida por muitos anos. Escavações retiraram toneladas de areia revelando o chamado “Tesouro”, esculpida nas encostas das montanhas de arenito de tons vermelhos. É um local de tirar o fôlego e sem dúvida, parada obrigatória para quem visita a Jordânia.

E perdi o fôlego ao me deparar com o "Tesouro". (Foto: arquivo pessoal)

E perdi o fôlego ao me deparar com o “Tesouro”. (Foto: arquivo pessoal)

Mar Morto

Mar Morto. (Foto: arquivo pessoal)

Mar Morto. Relógio para controlar o tempo dentro d’água. (Foto: arquivo pessoal)

O Mar Morto é o ponto mais baixo do planeta, com uma altitude de 420 metros abaixo do nível do mar. Em suas águas estão presentes cerca de 21 minerais, dos quais 12 só se encontra nele. É 33% mais salgado do que os outros mares, o que torna a existência de vida impossível. Por esse motivo é chamando de Mar Morto. Tem propriedades antissépticas e calmantes. O cálcio e o enxofre, proporcionam renovação celular. Mas não é aconselhável ficam imerso nele por mais de 30 minutos. Nessa região existem vários hotéis e SPAs, que exploram os benefícios dessa salinidade.

Flutuar vai ser inevitável!

Flutuar vai ser inevitável!

Baptism Site

Um dos lugares mais emocionantes dessa viagem foi conhecer o Baptism Site, local onde Jesus Cristo foi batizado. Mesmo quem não tem interesse na parte religiosa acaba se encantando pela parte histórica do lugar, que foi redescoberto há pouco mais de 35 anos. Desde então, esse local foi reconhecido por teólogos, arqueólogos e líderes religiosos que reconhecem o batismo de Jesus por João Batista como fato importante.

Local onde Jesus Cristo foi batizado, de acordo com as descrições contidas na Bíblia.

Local onde Jesus Cristo foi batizado, de acordo com as descrições contidas na Bíblia. (Foto: arquivo pessoal)

 

Gostou desse post? Comenta aqui!